Nos Bastidores

Sexta mulher acusa governador de Nova York de assédio sexual

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, durante uma visita a um centro de vacinação em 8 de março de 2021 em Nova York. (Foto: POOL/AFP/Arquivos) 

Uma outra mulher afirmou que o governador de Nova York a tocou de forma inadequada no final de 2020, noticiou um jornal de Nova York nesta terça-feira, 9, elevando para seis o número de mulheres que acusam Andrew Cuomo de assédio ou comportamento impróprio.

Fiel à posição que defende desde que a primeira dessas acusações foi tornada pública no final de fevereiro, o poderoso governador democrata de 63 anos descartou novamente a possibilidade de renunciar.

Cuomo, que disse “não ter conhecimento” desta nova acusação, reiterou que aguardaria os resultados de uma investigação independente sobre essas denúncias, supervisionada pela procuradora-geral do estado, Letitia James.

“Vamos deixar a investigação determinar os fatos, veremos mais tarde”, declarou Cuomo durante uma entrevista coletiva por telefone realizada logo após a nova acusação ser conhecida.

Segundo informações do Albany Times Union, jornal da capital do estado de Nova York, esse novo episódio de assédio aconteceu na residência oficial do governador em Albany e atinge uma funcionária ainda não identificada.

Embora ela não tenha apresentado queixa formal, suas denúncias foram encaminhadas ao serviço jurídico do governador e da procuradoria estadual, informou o jornal.

Essas novas acusações enfraquecem ainda mais a posição do governador, no poder há dez anos e cujo mandato termina em 2022.

Visto por muitos como um herói na luta contra a pandemia em 2020, Cuomo, um dos governadores mais influentes dos Estados Unidos, é agora alvo de vários pedidos de renúncia, inclusive no campo democrata.

Os legisladores republicanos iniciaram um processo de impeachment no Parlamento de Nova York, onde os democratas são a maioria. Suas chances de sucesso são incertas, já que o impedimento requer maioria simples na Câmara dos Deputados e dois terços do Senado.

(*) com informações do IstoÉ.


Nenhum comentário