Nos Bastidores

Lula se solidariza com Felipe Neto após intimação de Bolsonaro: “Silenciamento é arma do fascismo”

 

Ex-presidente Lula (Reprodução)



O ex-presidente Lula (PT) foi às redes sociais nesta terça-feira, 16, para prestar solidariedade ao influenciador Felipe Neto, que foi intimado a prestar depoimento em um inquérito aberto contra ele por “crime contra a segurança nacional”.

Segundo o youtuber, o motivo teria sido o fato de ele ter chamado o presidente Jair Bolsonaro de “genocida”, e o procedimento investigatório teria sido aberto a partir de denúncia do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

No Twitter, Lula chamou a intimação de “silenciamento” e acusou a medida de ser uma das “armas do fascismo”.

“Manifesto minha solidariedade a @felipeneto. Que a tentativa de intimidação e censura desse desgoverno não o impeça de continuar se manifestando livremente, como é próprio da democracia, independente de sua posição. O silenciamento é uma das armas do fascismo”, escreveu o ex-presidente na rede social.

O influenciador respondeu ao comentário de Lula, dizendo que o ex-presidente nunca tentou silenciá-lo durante o seu governo. “Passei mais de 5 anos atacando o Lula. Nunca recebi sequer uma notificação. Nunca tentou me silenciar. Isso diz muito”, escreveu no Twitter.
O “crime contra a segurança nacional” está previsto na Lei de Segurança Nacional, criada na ditadura militar para reprimir opositores ao regime.
Ao comentar sobre a intimação, Felipe Neto afirmou nas redes sociais que não se intimida. “A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, vc não me assusta com seu autoritarismo. Não vai me calar”, escreveu.
“Minha atribuição do termo ‘genocida’ ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”, completou o influenciador.

(*) Com informações da Revista Forum

Nenhum comentário