Nos Bastidores

Flordelis aponta filha Simone como mandante do assassinato de Anderson do Carmo

 



Em entrevista que será exibida nesta quinta-feira, 25, a deputada federal Flordelis, acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, afirmou ao entrevistador Pedro Bial, responsável por comandar o programa ‘Conversa com Bial’, da TV Globo, que sua filha Simone é a responsável pela morte da vítima.

Na entrevista, a parlamentar tentou explicar as contradições e os fatos que fizeram o Ministério Público do Rio de Janeiro considerá-la a mentora do crime. Flordelis também deu sua versão para a trama familiar que explicaria por que duas filhas do casal tinham motivações para matar o pastor.

De acordo com informações do site da Globo, foram acusados de participar do crime os filhos Flávio, Lucas, Simone, Marzy, Adriano, André e Carlose a neta Rayane. Todos foram presos, exceto Flordelis, porque ela tem imunidade parlamentar.

Em entrevista que será exibida nesta quinta-feira (25), a deputada federal Flordelis, acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, afirmou ao entrevistador Pedro Bial, responsável por comandar o programa ‘Conversa com Bial’, da TV Globo, que sua filha Simone é a responsável pela morte da vítima.

Na entrevista, a parlamentar tentou explicar as contradições e os fatos que fizeram o Ministério Público do Rio de Janeiro considerá-la a mentora do crime. Flordelis também deu sua versão para a trama familiar que explicaria por que duas filhas do casal tinham motivações para matar o pastor.

De acordo com informações do site da Globo, foram acusados de participar do crime os filhos Flávio, Lucas, Simone, Marzy, Adriano, André e Carlose a neta Rayane. Todos foram presos, exceto Flordelis, porque ela tem imunidade parlamentar.

“Além de estar com câncer, sofrendo com câncer, ela carregava isso sozinha, em silêncio, esses assédios, esses estupros. Ela carregava sozinha, Bial. Não estou defendendo ela, porque não concordo com o que ela fez. Eu discordo 100%. Ela não podia ter feito isso, não é matando que resolvemos os problemas”, disse a deputada.


(*) Com informações do Isto É

Nenhum comentário