Nos Bastidores

Caetano Veloso vai processar cantora que divulgou fake news

 

Caio Mariano, o advogado de Caetano Veloso,  anunciou na última segunda-feira, 4, que entrará com um processo contra a cantora Nayat Jordan, que compartilhou um vídeo falso sobre o cantor.

Nayat publicou o vídeo em seu Facebook como se fosse recente e criticou a aglomeração. O vídeo  mostra Caetano Veloso, Maria Bethânia, Regina Casé e Mart’nália reunidos na virada do ano de 2019. 

“Olha que legal o réveillon na Bahia festejando 2021. Galera boa Regina Casé, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Martinália filha do Martinho da Vila e adjacências. Parabéns sem medo da peste chinesa. Festão do covidão!”, escreveu ela.

Nas redes sociais, Caetano e sua esposa Paula Lavigne condenaram a postagem. “Isso é fake, é de 2019! Que absurdo. Ligando pros meus advogados”, escreveu a cantora.

O advogado Caio Mariano escreveu para Nayat na própria postagem do vídeo, que já foi deletado.

Leia o texto do advogado de Caetano Veloso:

“Prezada Nayat Jordan,
Na qualidade de advogado de Caetano Veloso e familiares, venho por meio desta solicitar a imediata remoção da postagem realizada através do link Referida postagem afirma falsamente que o artista, amigos e familiares estariam aglomerando socialmente em plena pandemia, atribuindo a estes a prática irresponsável e criminosa de aglomeração social em tempos de pandemia ocasionada pela Covid-19. Tal pratica é totalmente repudiada por todos aqueles filmados no referido vídeo, que se trata de registro de um evento familiar ocorrido no ano de 2019.
A postagem possui o mero intuito de atribuir, ao artista e aos demais, a prática de ato irresponsável e lesivo à saúde coletiva, confundindo assim a opinião pública sobre a sua conduta e responsabilidade. Solicito ainda seja formalizado pedido de retratação e de desculpas, em postagem própria, esclarecendo sobre a falsidade das informações postadas na publicação que se exige remoção, cujo único intento é o de macular a honra e a imagem de Caetano Veloso.
Na hipótese de não atendimento à presente solicitação, tomaremos todas as medidas judiciais cabíveis para reparação de danos materiais e morais causados. Certo de sua compreensão quanto a urgência e gravidade da sua postagem, aguardo remoção.
Cordialmente, Caio Mariano (OAB-BA 18.169)”.

(*) com informações do IstoÉ.

Nenhum comentário