Nos Bastidores

Bolsonaro diz que governo suspendeu compra de seringas até normalização de preços


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira, 6, que o país está esperando que os preços das seringas ‘voltem à normalidade’ para adquirir o material. De acordo com Bolsonaro, os preços dispararam e, por isso, o Ministério da Saúde suspendeu a compra.

“O Brasil consome 300 milhões de seringas por ano. Também somos um dos maiores fabricantes desse material. Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade”, escreveu Bolsonaro em suas redes sociais.

Ainda conforme o presidente, “estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações” contra a covid-19. No último dia 29, das 331 milhões de unidades de seringas e agulhas que a pasta tinha a intenção de comprar, só conseguiu oferta para adquirir 7,9 milhões no pregão eletrônico.

Na segunda-feira, 4, o Ministério da Saúde informou que solicitou o material de estoques excedentes a empresas fabricantes para a futura vacinação contra a Covid-19 no Brasil. A Associação Brasileira de Indústria de Artigos e Equipamentos médicos e Odontológicos (Abimo) informou que se comprometeu a fornecer 30 milhões de unidades.

 

(*) com informações do IstoÉ.


Nenhum comentário