Nos Bastidores

Após dizer que Marcius Melhem é pessoa 'de bom coração', Letícia Spiller se desculpa


A atriz Letícia Spiller usou suas redes sociais para esclarecer uma entrevista que deu recentemente. No bate-papo, a atriz  falou que Marcius Melhem virou “mártir da situação” e que o conhecia como uma pessoa “querida e de bom coração”.

No pedido de desculpas, Letícia disse que em momento algum apoio alguém que comete abusos. “Jamais atacaria Dani Calabresa. Jamais colocaria em dúvida os seus relatos, o que ela passou. Se, por algum momento deixei essa impressão, preciso me desculpar! E estou aqui pedindo desculpas”, começou.

“Desculpas ao público que me acompanha, aos meus colegas de trabalhos, às mulheres, às pessoas que passaram por casos de abuso ou assédio. Desculpas à Dani e a todos os envolvidos neste caso, em especial. Eu preciso me expressar aqui de uma maneira que deixe claro o meu posicionamento em relação a esse assunto. E é isso que estou fazendo neste momento”, continuou.

Na entrevista, Leticia também criticou a “demora” para as vítimas falarem sobre o assunto. No Instagram, a atriz justificou que “disse como achava que ia se comportar”. “Mas cada um tem seus motivos e seu tempo para se manter calado ou denunciar. E isso não tira – ou não deve tirar – a culpa de seu agressor”, escreveu.

“Sobre o meu comentário em relação a Marcius Melhem, eu o conheci na adolescência. É sobre aquele Marcius que falei. Não temos contato há anos. Assim como muitas pessoas ficaram chocadas com esses relatos, porque são de revirar o estômago, eu também fiquei. E eu espero que todos tenham ficado também, porque são situações de muito sofrimento para as vítimas. E isso tudo só reforça uma dura realidade. O que a gente mais escuta é que agressor não tem cara, não tem rótulo. Aquela pessoa que está ao seu lado, bem-humorada e educada, com sorriso largo e boa conversa, pode ser a pessoa que está fazendo da vida de alguém um inferno. Por isso também que as vítimas se sentem acuadas e com medo de fazer as denúncias. Mais do que nunca, quem está do lado de fora, precisa lutar e criar uma rede de apoio para que as vítimas se fortaleçam, se encorajem. Isso afirmo e reitero.” Finalizou Spiller.

(*) com informações do IstoÉ.

Nenhum comentário