Nos Bastidores

Felipe Neto é indiciado pela Polícia Civil por corrupção de menores, youtuber nega acusações

Nesta quinta-feira, 5, o youtuber Felipe Neto foi indiciado pela Polícia Civil sob a acusação de publicar conteúdo impróprio para crianças e adolescentes em seu canal do YouTube. Segunda a assessoria do influencer, a denúncia foi feita de forma anônima e “sem qualquer investigação ou apuração”.

O youtuber usou suas redes sociais para mostrar que está tranquilo e para reforçar sua inocência. “Faço questão de divulgar eu mesmo: Baseado em denúncias caluniosas feitas pela articulação do ódio bolsonarista, um delegado decidiu me indiciar sem apurar nada ou fazer qualquer investigação. Confiamos inteiramente na justiça. Já esperávamos isso e estamos 100% tranquilos”, escreveu em um tuíte.

Em nota, a assessoria do youtuber escreve “Por meio de sua assessoria de imprensa, Felipe Neto reitera que o inquérito está apurando as mesmas falsas acusações e desinformações que há meses vêm sendo cometidas e articuladas por membros da extrema-direita, fortemente incomodados com as críticas do governo Bolsonaro. Felipe Neto informa que prestou todos esclarecimentos necessários, porém o delegado da polícia, sem tomar nenhum depoimento ou realizar qualquer investigação, decidiu indiciá-lo.”

“Confiante no Poder Judiciário, o youtuber permanece absolutamente convicto e tranquilo de que nunca praticou crime algum e reitera que todo o ocorrido ainda será analisado por um promotor de Justiça. Felipe Neto acrescenta que, quando começou a se manifestar vigorosamente contra os absurdos do governo Bolsonaro, já estava preparado para enfretar todos os tipos de ataque cometidos pela articulação do ódio, desde a propagação de notícias às falsas acusações, associando Felipe a crimes, na tentativa de destruir sua imagem e reputação.” Completou em nota.

Segundo informações do UOL, Felipe foi indiciado por “corrupção de menores”. “[Felipe Neto] foi indiciado por divulgar material impróprio para crianças e adolescentes em seu canal do Youtube e por não limitar a classificação etária dos vídeos com conteúdo e linguajar inapropriado para menores.”

(*) com informações do IstoÉ.

 

Nenhum comentário