Nos Bastidores

‘Garanto que temos apoio de Bolsonaro’, diz coronel Menezes ao oficializar delegado como vice à Prefeitura de Manaus

O delegado da Polícia Civil, Costa e Silva, foi confirmado como vice da chapa "Puro-Sangue" (Bruno Pacheco/ Revista Cenarium)
Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium
MANAUS – Pouco mais de duas semanas após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falar que não apoiaria ninguém no segundo turno das eleições municipais deste ano, o coronel Alfredo Menezes oficializou nesta quarta-feira, 16, sua candidatura pelo partido Patriotas para concorrer ao posto de prefeito de Manaus e disparou: 'Garanto que temos apoio de Bolsonaro'.
Na ocasião, coronel Menezes confirmou o delegado da Polícia Civil, Costa e Silva, como vice da chapa "Puro-Sangue".
"Um desafio muito grande. Creio que será neste momento o maior desafio que eu tenho da minha vida e nós estamos animados com o time que nós temos, com todo o time do Patriotas engajado nessa candidatura e nesse projeto de mudança. Temos a confiança da vitória, a certeza nisso, porque somos o candidato que tem o DNA do presidente, somos o único candidato que tem esse DNA. Além do mais, posso afirmar aqui, que tem a amizade, a confiança e o apoio do nosso presidente. O resto é 'mimimi'", completou Menezes.
Menezes é ex-superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa) e padrinho de casamento do presidente Bolsonaro (sem partido). Seu vice, o delegado Costa e Silva atuou no 4° Distrito Integrado de Polícia (DIP) de Manaus.
A convenção partidária da sigla acontece em uma casa de eventos localizada na Rua Rio Javari, Conjunto Vieiralves, no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul da capital amazonense.
O partido lança ainda 62 candidatos ao cargo de vereador para o pleito deste ano. O coronel pontuou que desde o início de sua campanha para à prefeitura, decidiu uma proposta inovadora e garantiu ainda que não irá utilizar recursos do fundo partidário.
Segundo Menezes, sua luta está centralizada em três eixos, o da saúde, o da mobilidade urbana e o da segurança, motivo pelo qual convidou o delegado Costa e Silva para ser seu vice.
"Irei usar recurso próprio e de apoiadores. Não usaremos o seu dinheiro público de você que está aí do outro lado. Decidimos rumar sozinhos, porque queremos fazer sim uma coligação, que será a maior coligação da cidade de Manaus, a coligação com a população manauara", disse.
Apoio de Bolsonaro
No mês passado, o presidente Jair Bolsonaro disse que decidiu não apoiar nenhum candidato a prefeito no primeiro turno das eleições municipais deste ano.
"Decidi não participar, no primeiro turno, nas eleições para prefeitos em todo o Brasil. Tenho muito trabalho na Presidência da República e, tal atividade tomaria todo meu tempo em um momento de pandemia e retomada da nossa economia", ressaltou, à época.
"Omar Aziz é um covarde e o Silas vai para o inferno"
Sempre polêmico em suas declarações, recentemente, em entrevista concedida ao site da Paula Litaiff, coronel Menezes não teve papas na língua ao falar de seus desafetos políticos.
"No Estado (Amazonas), há pelo menos uns cinco que se intitulam caciques e um deles é o Omar (senador Omar Aziz – PSD e coordenador da bancada amazonense no Congresso). Na verdade, o Omar acha que manda, mas é um covarde. Eu sento para conversar com o José Ricardo (deputado federal do Amazonas pelo Partido dos Trabalhadores – PT), mas não sento com o Omar. Ele foi desrespeitoso comigo, mas isso não aconteceu só comigo. Ele é desrespeitoso com quem não atende aos desejos pessoais dele. Acha que por ser coordenador da bancada tem todo esse poder", disse ao ser indagado sobre quem ele considera como "coronéis da política" no Amazonas?
E foi mais a fundo ao falar do deputado Silas Câmara, durante a entrevista. "Ele [Silas Câmara] está muito distante do mínimo aceitável para ser um cristão, um pastor (evangélico). Quando ele morrer, vai direto para o inferno e nem precisa de identidade. Vai entrar sem parar, como se fala no Rio de Janeiro".



Nenhum comentário