Nos Bastidores

Descoberta pelo Instagram, paraense com traços indígenas é a nova aposta do mundo da moda

“Quer trocar o chip do seu celular? São só 10 reais.” Assim Emilly Nunes abordava as pessoas nas ruas de Belém até 2019. Hoje, a bela paraense é disputada entre as agências internacionais (Divulgação/ Instagram)

Luciana Bezerra – Da Revista Cenarium
MANAUS – Agenciada pela Way Model, a ex-vendedora de chips de celular e modelo Emilly Nunes, de 21 anos, foi descoberta nas redes sociais. Enquanto a maioria das modelos é escolhida por olheiros em shoppings, praias, ruas ou parques, a jovem paraense de origem indígena foi descoberta por meio do Instagram, nesse novo formato da era digital e influenciado pela geração Z.
Das ruas de Belém para o mundo fashion das mais badaladas marcas de moda brasileira e estampando capas de revistas famosas como, Veja e Vogue Brasil. Durante entrevista à Revista Cenarium na quarta-feira, 2, a modelo paraense falou sobre sua história, carreira e planos para o futuro pós-pandemia. 


A trajetória de Emilly, sem dúvida, parece mais um conto de fadas do século 21 ou um belo romance de José de Alencar ou de Clarice Lispector. Assim como ela, milhares de meninas brasileiras sonham com a chance de seguir a carreira de modelo e brilhar em passarelas nacionais e internacionais como Gisele Bundchen, o ícone de moda mais influente de todos os tempos. 
O bate-papo com a modelo paraense foi descontraído, onde a jovem de origem indígena refletiu simplicidade, sutileza e entusiasmo. Saída da periferia de Belém para a selva de pedra da cidade de São Paulo, ainda anestesiada com tudo que está acontecendo na sua vida em tão pouco tempo.

Emilly Nunes a paraense criada na Ilha de Marajó, maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta (Reprodução/ Instagram)

Descendente dos aruans, a modelo paraense de traços indígenas marcantes e beleza exótica que vendia chip de celular nas ruas de Belém, para ajudar na renda da família, viu sua vida se transformar num clique. Pois, foi divulgando suas fotos em seu perfil do Instagram que a beleza amazônica de Emilly despertou o interesse do scouter (olheiro) Vivaldo Marques.
Segundo a modelo, foi por meio do scouter que suas fotos foram parar nas mãos de Anderson Baumgartner, diretor da Way Model, uma das maiores agências de modelos do Brasil, responsável por gerenciar a carreira de beldades consagradas internacionalmente como, Alessandra Ambrósio, Carol Trentini, Sasha Meneghel, entre outras. 
“O Valdo [Vivaldo] encontrou meu Instagram e começou a acompanhar meu perfil. Em 2019, após um evento de moda em um shopping de Belém, meu contato com ele passou a ser mais frequente até que ele apresentou minhas fotos nas agências de modelo, em São Paulo. E, em fevereiro deste ano, fui apresentada para agência Way”, relembra Emilly.

Origem

Nascida na capital do Pará e criada na Ilha de Marajó, mais precisamente entre os municípios de Soure e Salvaterra, Emilly segue em sua rotina tradições típicas de seus antepassados indígenas, produzindo farinha de mandioca caseira e indo à mata, onde colhia açaí e bacuri, frutas famosas da região.

A modelo é uma das faces à estrelar a nova campanha da prestigiada marca Lenny Niemeyer (Divulgação/ Way Model)

Desde jovem, acompanhava desfiles de moda, quando calçava o salto-alto da mãe e desfilava pelos cômodos da casa onde vivia com a família, sonhando com a carreira que hoje tornou-se realidade.
Quando criança sonhava em ser a própria Gisele Bundchen. E, Emilly relembra uma história engraçada de sua infância. “Uma vez, o meu pai comprou um tênis de presente para mim e eu fiquei muito chateada, porque na verdade eu queria um salto alto para me sentir a modelo [risos]“.
Sua beleza, uma mistura de duas deusas das passarelas Adriana Lima e Naomi Campbell, a última aliás, é sua inspiração, a paraense oriunda de família humilde, é preocupada sobre questões sociais. Emilly faz parte do movimento “Tudo por uma sorriso”, que distribui cestas básicas para comunidades em situação de vulnerabilidade, em Soure, na Ilha do Marajó, onde foi criada.
“Por muito tempo, as pessoas diziam que eu parecia com a Naomi Campbell. Eu achava engraçado porque ela sempre foi a minha inspiração”, diz Emilly.

Carreira

Em agosto passado, a modelo desembarcou em solo paulistano para ser a nova aposta da Way Model. Na bagagem trouxe, coragem, gratidão, uma intensa vontade de modelar e brilhar na profissão.

Emilly sempre foi comparada com a modelo britânica Naomi Campbell, uma das beldades internacionais mais badaladas da década de 90. (Divulgação/ Instagram)

“Estou amando morar em São Paulo. O trabalho como vendedora de chip nas ruas de Belém me fez perder o medo o jeitinho de ‘bicho do mato’ e me comunicar com qualquer pessoa”, declara a modelo.
A filha mais velha de quatro irmãos Emilly tem total apoio da família por sua escolha de vida. A modelo que cursou até o primeiro período do curso de administração, está morando na terra da garoa, fala com sua família diariamente. “Sinto saudades da minha família, já que nunca saí de perto deles. Mas, meus pais sempre me apoiaram em todas as minhas decisões. Isso é essencial. Nos falamos todos os dias pelo telefone”.
Em pouco tempo de carreira, a modelo paraense já coleciona em seu currículo importantes trabalhos, como a capa de junho da Vogue Brasil e publicidade para grifes poderosas, como Lenny Niemeyer, Animale, Lolita, Giuliana Romanno, Carlota Costa, Natura, entre outras.


Foi na capa da Vogue Brasil de junho, uma edição especial inspirada no álbum “Paratodos”, de Chico Buarque, um dos maiores nomes Música Popular Brasileira (MPB) que compôs inúmeras canções importantes, muitas delas com críticas e denúncias sociais.
“O que me define neste momento é gratidão. A gente pensa que tudo que desejamos vem na hora que queremos. Mas Deus sabe o tempo certo para tudo acontecer, se for o seu destino”, ressalta a modelo.

Trabalhos no pós-pandemia

Com os traços amazônicos e uma beleza singular, a modelo chamou a atenção das agências internacionais. Segundo Thiago Bunduky, representante da Way Model, a modelo está causando o inverso ocorrido com outras modelos.
“As agências internacionais estão muito interessadas no perfil dela, como a nova aposta de modelo brasileira. Já estamos em negociação com agências de Londres, Paris e Nova York, fascinadas com a beleza da paraense. Geralmente são as modelos que buscam as agências internacionais e com a Emilly, o caminho está sendo reverso”, finaliza Bunduky.
Thiago adiantou ainda que a Way está decidindo quais serão as representações internacionais da modelo e, assim que as viagens internacionais forem retomadas para esses países, ela embarca para começar a carreira internacional também. 

Nenhum comentário