Nos Bastidores

"Fui chamada de puta, garota de programa de luxo", Xuxa falou sobre os preconceitos que sofreu durante sua carreira


Xuxa Meneghel enumerou alguns dos preconceitos que sofreu durante a sua carreira no mundo do entretenimento.

"Aos 17 anos, namorei Pelé, o maior ídolo do país por 6 anos e foi aí que eu conheci a maldade real das pessoas. Fui chamada de puta, interesseira que queria aparecer às custas de um rico famoso, garota de programa de luxo e muitos outros nomes", comentou.

Ela contou que o dilema se repetiu quando anunciou o namoro com Ayrton Senna: "Diziam que era um relacionamento de fachada", comentou Xuxa.

A apresentadora também se lembrou de quando foi chamada de "mau exemplo" pelo então ministro da Saúde, José Serra (PSDB-SP). "Será que trabalhar muito, ter uma conta bancaria alta, ser uma mulher independente, resolver ter filho aos 35 anos, cuidar da saúde, não fumar, não beber, são maus exemplos?", questionou ironicamente.

O desabafo de Xuxa, feito, foi motivado pelas críticas que a apresentadora tem recebido por escrever um livro infantil no qual a personagem tem duas mães.

Xuxa explicou que o livro é baseado em uma história real: "Estou sendo criticada por escrever livros para crianças. Um em especial, que ainda nem saiu, inspirado na milha afilhada Maya, onde conto a história de uma menina que quer tanto ser amada, quer tanto alguém especial ao seu lado, que Deus lhe dá duas mães", explicou.

"Agora, eu peço aos intolerantes. Não querem ajudar? Não atrapalhem! O mundo não precisa da sua ignorância, do seu desamor", escreveu.



Nenhum comentário