Nos Bastidores

"Vítima de acusações falsas", Jornal Nacional se posicionou a favor do youtuber Felipe Neto


No ambiente de enorme polarização política em que se encontra o país, cabe destacar e elogiar a postura do "Jornal Nacional" em relação a Felipe Neto. O telejornal nesta quinta-feira (30) foi além do dever de informar sobre os ataques que ele está sofrendo e se posicionou claramente a favor do youtuber.

Felipe Neto é alvo de uma campanha de difamação pesada desde que, há duas semanas, gravou para o "New York Times" um vídeo com críticas à forma como o governo do presidente Jair Bolsonaro está enfrentando a pandemia de coronavírus.

Antes de exibir uma reportagem de seis minutos sobre o assunto, o apresentador William Bonner disse textualmente: "O influenciador digital Felipe Neto tem sido vítima de acusações falsas e de ameaças nas redes sociais. Nesta quarta-feira (29), esses ataques foram parar na porta da casa dele."

No modelo mais convencional de jornalismo que o JN pratica, esta notícia talvez começasse de outra forma, mais precavida: "O influenciador digital Felipe Neto está sendo acusado de pedofilia nas redes sociais".

Mas, não. O telejornal se mostrou seguro, com base em apurações que fez, para ir além do que seria este modelo tradicional de jornalismo e afirmou, tomando posição em defesa do youtuber, que as acusações são falsas.

Após Bonner, também o repórter Helter Duarte usou palavras enfáticas ao expor a situação de Felipe, observando que o vídeo gravado para o jornal americano está na origem destes ataques: "A partir daí, Felipe passou a ser vítima de uma campanha de destruição nas redes sociais que, na tarde desta quarta, deixou de ser virtual".

Nenhum comentário