Nos Bastidores

Durante reportagem, jornalista do AM é agredido em aeroporto por passageiro revoltado

Fábio Costa estava no saguão do aeroporto para cobrir uma denúncia referente ao adiantamento e atrasos em voos, quando um passageiro, revoltado, iniciou as agressões. (reprodução/ internet)

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium*
Essencial para a sociedade, o jornalista exerce uma das profissões mais importantes do mundo e mesmo assim, diariamente, profissionais da imprensa são agredidos. Um caso chamou atenção nessa quinta-feira, 2, quando o jornalista Fábio Costa, do Portal do Generoso, cobria uma denúncia no Aeroporto Eduardo Gomes, Zona Oeste de Manaus.
De acordo com o profissional, a equipe estava no saguão do aeroporto para cobrir uma denúncia referente ao adiantamento e atrasos em voos, quando um passageiro, revoltado, iniciou as agressões e chegou a confiscar o aparelho celular de Fábio Costa.
"Com mais de dez anos de profissão, eu nunca fui agredido. Já ocorreram algumas situações, mas nenhuma de agressão. Já trabalhei em diversos portais de notícias e rádio e essa foi a primeira vez. Estávamos cobrindo uma pauta de usuários da Gol Linhas Aéreas. Quando estávamos gravando com um supervisor da empresa, esse homem que perdeu o voo surgiu, pegou nosso celular e já iniciou as agressões", descreveu Costa.
Ainda de acordo com a vítima, o homem chegou a ameaçar a equipe de reportagem. "Nesse momento de fúria ele achou que eu estaria gravando ele e ele veio para cima de mim, correndo pelo aeroporto", comentou.
Marcelo Generoso, dono do Portal do Generoso e presidente da Associação de Blogs, Portais e Sites Profissionais de Imprensa (ASBPIAM) do Amazonas, enfatizou que ele e a equipe de jornalismo agredida entendem os motivos pelos quais o agressor se revoltou, todavia, ressaltam que o caso não é motivo para a violência física.
Marcelo Generoso prestou apoio ao profissional agredido. (reprodução)

"Temos vídeo que prova que em nenhum momento este cidadão foi filmado. Ele pediu para ser filmado quando partiu para cima do cinegrafista do CM7, mas nós não filmamos ele. Ele poderia ter dialogado. Desde o início ele estava revoltado e até xingou o rapaz da Gol [Linhas Aéreas]", explicou.
O empresário pontuou que o agressor foi identificado como Luís Balduíno, e que além de Fábio Costa, sua mulher, Regina Loiola, também foi agredida ao acompanhar a equipe de jornalistas."Ele ainda chutou para trás que nem um cavalo dando coice. É um absurdo, um absurdo. O foco de tudo isso é a Gol. A empresa que causou todo esse constrangimento para nós. O repórter apanhou de graça, porque não filmou ninguém", finalizou Marcelo Generoso.
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJPAM) também emitiu comunicado em apoio ao jornalista e sua equipe e ressalta que jornalista "não é inimigo da sociedade, mas se coloca a serviço dela para que a mesma se aproprie deste trabalho que lhe assegura a liberdade de pensamento e expressão".
Confira nota de apoio na íntegra:

Após as agressões, o suspeito foi encaminhado ao posto policial do aeroporto e um Boletim de Ocorrência foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Ponta Negra, também na Zona Oeste da capital amazonense.
Uma outra equipe de reportagem que cobria o mesmo fato também foi ameaçada por Luís Balduíno. Em imagens gravadas pela reportagem do Portal CM7, é possível ver a agressão ao jornalista Fábio Costa e ameaças. Todo o fato é narrado pelo jornalista Mairkon Castro.
Fotógrafo agredido
Em maio desse ano, na data em que se celebrava o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, dia 3, o fotógrafo Dida Sampaio, do jornal O Estado de S. Paulo, foi agredido com socos e chutes quando tentava registrar fotos do presidente Jair Bolsonaro cumprimentando os manifestantes em frente ao Palácio do Planalto.
Além de Sampaio, o motorista do jornal Marcos Pereira foi derrubado com uma rasteira. Os agredidos deixaram o local escoltados pela Polícia Militar. Jornalistas de outros veículos também foram hostilizados durante o ato.

Nenhum comentário