Nos Bastidores

Vereadora pede celeridade na apreciação de projeto que beneficia o meio ambiente

Na semana em que se comemora o dia do meio ambiente – 5 de junho, data estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para promover a conscientização ambiental – a vereadora Mirtes Salles (Republicanos) trouxe o tema a luz do debate, do plenário virtual, da Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta quarta-feira, dia 3. 

“Eu apresentei um Projeto de Lei aqui na casa o PL 230/2019 para a proibição da distribuição gratuita de sacolas plásticas descartáveis, a base de polietileno e a substituição delas por sacolas biodegradáveis, nos supermercados . A gente sabe que o plástico é um material que leva mais de quatrocentos anos para se decompor na natureza, então devemos procurar alternativas mais sustentáveis, visto que Manaus é a capital do pulmão do mundo e devemos fazer a nossa parte pela preservação do meio ambiente”, pontuou a vereadora.

Na ocasião, Mirtes ainda citou como exemplo cidades como São Paulo e Rio de Janeiro que já adotaram medidas semelhantes. Na capital fluminense, um PL sugerindo a troca das sacolas foi aprovado no ano passado, e em seis meses, a Associação de Supermercados estima que tenham sido retiradas de circulação um bilhão de bolsas plásticas convencionais. 

Quando descartado de forma incorreta, o lixo plástico pode causar entupimentos de valas e bueiros, que gera enchentes e desabriga pessoas, principalmente as que moram nas periferias da cidade. Além de, no caso de Manaus, esse descarte errado contribuir para a poluição dos igarapés que circundam a cidade e causam doenças nas pessoas que moram nas áreas próximas e utilizam essas águas para lavar roupas ou fazer comida e, claro, contribuir para a poluição visual do cenário urbano.

Um estudo divulgado pela Semulsp no ano passado revelou que por mês 887 toneladas de lixo são retiradas dos igarapés da cidade. Mirtes também alertou que a população precisa ter  mais consciência ambiental.
“Igarapé não é lugar de jogar lixo! A prefeitura faz a parte dela, mas a população precisa ajudar”, ressaltou a vereadora.
O PL 230/2019 encontra-se em tramitação na cmm e atualmente está sob apreciação da Comissão de Constituição e Justica (CCJ) da Câmara.

Nenhum comentário