Nos Bastidores

Nego do Borel afirmou que irá processar os sogros por conta das acusações de agressão contra Duda Reis


Os desentendimentos entre Nego do Borel e os pais de sua namorada, Duda Reis, alcançou um nível maior hoje. O cantor afirmou que irá processar os sogros por conta das acusações de agressão contra Duda, e ainda apontou que está sofrendo racismo por parte deles.

Tudo começou quando a mãe da modelo disse, em um comentário no Instagram, que Nego jogou Duda no chão e a expulsou de uma van durante uma viagem dos dois para Portugal. "Você ia gostar de ser empurrada na rua e jogada no chão? Ser expulsa de uma van no meio de uma viagem internacional? Ser traída pra C#%¨& e saber? Duvido que sua mãe ia te deixar em paz", escreveu a médica Sonia Barreiros.

Pouco depois, o pai de Duda, Luiz Fernando Barreiros, disse que será processado pela própria filha.

Diante da comoção, Nego do Borel soltou um comunicado para a imprensa, em que explica seu ponto de vista sobre a situação.

"Pela primeira vez vou falar abertamente sobre algumas situações que me machucam muito: o preconceito com um homem preto da favela que venceu na vida. Desde pequeno sempre passei por muitas situações desconfortáveis e, a princípio, não entendia o porquê. Mas com o tempo enxerguei os motivos que faziam as pessoas me olharem torto no shopping, na praia e em qualquer outro lugar fora das favelas: ser um jovem preto que fala gírias", começou o artista no documento.

Ele prosseguiu: "Graças a Deus e após muito esforço, consegui vencer na vida e atingir lugares inimagináveis. Para muitos, isso é inadmissível. Pessoas que acham que eu 'só posso ser bandido' e que tentam criminalizar as minhas atitudes. Mais uma vez, hoje, eu sofri com inverdades sobre mim partindo de pessoas que se sentem ofendidas com a minha felicidade".

"Em respeito às pessoas que eu amo, sempre coloquei panos quentes e procurei não ligar para essas agressões gratuitas. Mas isso cansa. Até quando seremos obrigados a aturar que tratem todo preto favelado como bandido? Chega! Eu vou atrás dos meus direitos e vou tomar as devidas providências", afirmou.

Na sequência, ele demonstrou revolta com a situação. "Este preconceito é um mal que já deveria ter sido extinto da nossa sociedade. Não vou permitir que tentem me calar nem caluniar mais. Meus advogados que estão cuidando de tudo agora!", finalizou.


Nenhum comentário