Nos Bastidores

"Me vi em uma situação limite, incontrolável, mas tentei manter a calma", disse a repórter Marina Araújo após ter sido refém


A jornalista Marina Araújo agradeceu às mensagens de solidariedade e disse ter vivido uma "situação limite, incontrolável" quando um um homem invadiu às instalações da TV Globo, no Rio, e a manteve como refém.

"Agradeço imensamente pelas mensagens de solidariedade e carinho, depois do episódio de hoje. Me vi em uma situação limite, incontrolável, mas tentei manter a calma. Tive fé. Falei o que podia pra acalmar os ânimos. Contei histórias e deu certo. Ninguém se feriu. Agradeço ao coronel Heitor e a Renata [Vasconcellos]...E todos que ficaram ao meu lado até eu vir pra casa, hoje", escreveu ela, em post publicado no Instagram.


Um homem, não identificado, invadiu a sede do jornalismo da emissora, no Jardim Botânico, zona sul do Rio, portando uma faca e fez Marina como refém. O rapaz queria falar com Renata Vasconcellos - a apresentadora do Jornal Nacional completou 48 anos nesta quarta-feira.


Renata interveio nas negociações, o homem foi detido e Marina Araújo, liberada sem ferimentos.


Durante o "Jornal Nacional", o apresentador William Bonner noticiou o fato e celebrou que as duas jornalistas não tenham se ferido.


"Foi um susto enorme, mas nós recebemos aqui, neste ambiente da Redação, as duas colegas sãs e salvas. E por isso agradecemos também a ação impecável da PM na proteção delas. Não foi um aniversário incrível, né, Renata?! Mas o mais importante é que a Marina está bem, que você está bem, e vida que segue", disse Bonner. "É isso aí, vida que segue. Desejo paz a todos", completou Renata.


Segundo pessoas que presenciaram a situação, o homem teria a intenção de aparecer ao vivo na Globo. Ele chegou a pedir o sinal do Globoplay para ver se estava na TV. Os funcionários, então, colocaram uma câmera fingindo que estava ao vivo, mas só transmitia o sinal internamente, como se fosse um repórter.


"Vamos fazer o seguinte? Pra ficar legal? A minha palavra pra você: você vai na Renata Vasconcellos, e vai falar com ela. Mas a gente solta a menina primeiro que ela não tem nada a ver com a Renata Vasconcellos".



Nenhum comentário