Nos Bastidores

Campanha nacional contra gripe termina dia 30; cerca de 20 milhões ainda não se imunizaram

Em Manaus, as crianças são as mais vulneráveis, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). (Reprodução/Internet)

Luciana Bezerra – Da Revista Cenarium
A Campanha Nacional de vacinação contra a gripe termina na próxima terça-feira, 30. Segundo o Ministério da Saúde (MS), 20,8 milhões de pessoas ainda não se imunizaram. Até o momento, foram vacinados 58 milhões de pessoas, que correspondem a 84% do público-alvo. A meta do MS é vacinar 90% de cada público alvo da campanha.
A vacina da gripe protege contra os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, a pasta de saúde explica que a vacina é segura e reduz as complicações que podem levar a casos graves da doença e óbitos.
Devido à pandemia de Covid-19, o início da campanha foi antecipado para 11 de março. O Ministério da Saúde destaca que a vacina contra gripe não tem eficácia contra o novo Coronavírus, mas pode ajudar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para Covid-19, já que os sintomas são parecidos, além de reduzir a procura por serviços de saúde.
Balanço no Amazonas
Em Manaus a busca pela imunização contra a gripe ainda é baixa, apesar da cidade ter alcançado 71,44% de imunização de todos os grupos prioritários, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Até o momento, foram aplicadas 436.746 doses da vacina. Apesar disso, mais de 79 mil crianças ainda não foram imunizadas e continuam vulneráveis ao vírus da gripe.
Devem receber a vacina gestantes, mães no pós-parto até 45 dias (puérperas), adultos de 55 a 59 anos, professores e crianças de seis meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias.

De acordo com a chefe da Divisão de Imunização da Semsa, enfermeira Isabel Hernandes, outras síndromes respiratórias, além do novo Coronavírus, estão circulando em Manaus, como a influenza A (H1N1) e influenza B.
A enfermeira alerta também que muitos pais e responsáveis ainda não levaram os filhos para a imunização contra a influenza, mesmo com a vacina disponível em mais de 140 postos de vacinação distribuídos pela cidade.
“É importante buscar a vacinação para as doenças que já há vacina, pois está disponível, é de graça e a pessoa pode receber. Nós alertamos, principalmente para as crianças, que os pais tenham a responsabilidade de levá-los para vacinar. Todas as unidades de vacinação estão com prevenção e medidas de segurança necessárias para atender a população de forma a evitar o risco de disseminação da Covid-19. Desta forma, é possível vacinar tranquilamente”.
Isabel Hernandes ressalta ainda que no ato da imunização, o calendário vacinal das crianças está sendo atualizado. Justamente para que a criança não fique vulnerável a outra doença que possa aparecer, após a pandemia do novo Coronavírus.
A assistente social Laura Gonzaga, 35 anos enfatiza a importância de manter o cartão de vacinação da pequena Maria Sofia, 5 anos, atualizado.
“Se temos a vacina gratuitamente nas unidades de saúde, não entendo o motivo do descaso de muitos pais e responsáveis em não atender a campanha e não vacinar seus filhos. Estou sempre atenta a todas as vacinas que minha filha precisa tomar”.
Já para a empregada doméstica Elaine da Silva Rangel, 45 anos, mãe de três filhos, de 2, 4, 6, a vacinação vem depois da prioridade de colocar alimento na mesa.
“Tenho que trabalhar, mesmo na pandemia. Por isso, ainda não tive tempo de levar os meninos pra vacinar. Mas ter o que eles comer diariamente, é mais importante para mim. Vacinação, sempre tem no posto de saúde”.
Campanha
A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza 2020 teve início em 23 de março, em Manaus e tem como meta vacinar 90% de cada público alvo, o que inclui os grupos: idosos a partir de 60 anos; crianças com idade de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias; Pessoas com Deficiência (PcDs); gestantes; mães no pós-parto até 45 dias (puérperas).
Integram a lista ainda trabalhadores da saúde; professores; pessoas de 55 a 59 anos de idade; trabalhadores de transporte coletivo; indígenas; funcionários do sistema prisional; pessoas privadas de liberdade; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; profissionais das forças de segurança e salvamento na ativa; portuários, trabalhadores de transporte coletivo; e caminhoneiros.
Em relação aos idosos, que foram imunizados pelas equipes nas residências e por meio de um sistema drive-thru, a meta da campanha foi ultrapassada, atingindo 144% do público estimado pelo Ministério da Saúde.
A lista com o endereço dos 140 postos de vacinação pode ser acessada no site da Semsa. Além de Unidades de Saúde, alguns postos estão instalados em locais estratégicos, como escolas, áreas comerciais, associações de moradores e o Parque Municipal do Idoso, na zona Centro-Sul.
A vacina disponível na campanha é trivalente e protege contra os vírus da influenza A (H1N1), da influenza B e da influenza A (H3N2).
De acordo com o ministério, a pasta tem orientado todas as equipes de saúde do país quanto às medidas de segurança para evitar infecções e realizar uma vacinação segura para a população e as equipes de saúde. 

Nenhum comentário