Nos Bastidores

Tempos de crises, reflexões e atitudes.


 Um dos temas mais polêmicos da atualidade é o que gira em torno dos desequilíbrios climáticos que o planeta Terra vem experimentando.

Para uns, nada de anormal está ocorrendo. O planeta apenas atravessa mudanças cíclicas e o impacto da destruição humana sobre a natureza é ínfimo. Para outros, as nações devem se unir em prol da sobrevivência da raça humana e praticamente todas as estruturas econômicas e sociais devem ser mudadas. Mas, o que as Escrituras nos mostram sobre isso? Como se encaixa essa temática no contexto das profecias bíblicas? "Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo" [Rm 8:22-23].

Paulo não apenas afirma que toda a criação geme, mas também ensina que ela está com dores de parto, mostrando que o gemido da criação ou natureza é progressivo e contínuo, até o momento da vinda de Jesus. Quando Paulo menciona "criação" está se referindo não apenas à natureza no planeta Terra, mas a todo o Universo físico criado.  Algo anormal ou fora da ordem está fazendo com a que toda a criação esteja gemendo e esse gemido é cada vez maior e mais profundo, assim como as dores de parto de uma mulher prestes a dar à luz.

Então, o conceito de "gemido da criação" ou "gemido da natureza" vai além do conceito humano de "aquecimento global". O gemido da natureza tem origem espiritual, isso está diretamente correlacionada com as escolhas e atitudes da humanidade, pois, escolhas erradas, resultados negativos.  Quando o Altíssimo criou o homem, teve o cuidado de colocá-lo num ambiente natural, perfeito e agradável: "E plantou o Senhor Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado. E o Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida" [Gn 2:8,9].

Logo após criar o homem, o Eterno estabeleceu um ecossistema perfeito para que o homem pudesse habitar. Não havia necessidade de construir nenhuma estrutura para se proteger nem para caçar animais, pois a alimentação, segundo a determinação do Senhor, era essencialmente vegetariana, não apenas para o homem, mas também para os animais: “E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento”. Então, podemos ver que o plano original do Altíssimo é que o homem viva num ambiente natural, em pleno equilíbrio com toda a criação.

No entanto, o pecado da desobediência trouxe a quebra dessa perfeição. O homem e a mulher tiveram que sair daquele meio ambiente perfeito e lidar com as consequências que seu pecado havia gerado na natureza, mas com o pecado do casal, sobreveio todo o desequilíbrio da natureza e do próprio homem. Então, vemos que o pecado humano trouxe maldição sobre a natureza. Tudo o que o homem gera no mundo espiritual, traz consequências no mundo material. Essa é a causa inicial e quando essa causa é compreendida, fica mais fácil enxergar toda a abrangência do tema.

Ao longo da história e das próprias narrativas bíblicas, podemos observar que a desobediência e outros pecados dos povos trazem sobre uma determinada região consequências sobre a própria natureza. Diante da progressiva multiplicação da iniquidade no mundo, a natureza sofre de forma crescente e os reflexos do pecado humano são sobretudo avassaladores, pois as doenças são cada vez mais frequentes.

Na medida em que a ciência e os tratamentos de saúde evoluem, avançam também com mais rapidez as enfermidades, vírus sofrem mutações causando a morte de muitos a exemplo do coronavírus e outros vírus circulantes no planeta; é fato que toda a terra geme em função de tantos males que nos assolam, é hora de refletirmos sobre nossas escolhas e buscar em Deus a solução dos nossos problemas, pois só Ele tem o poder de mudar qualquer quadro caótico.

Nenhum comentário